23 de jan de 2016

te encontrei em meio a multidão...




Olhei para o céu e vi estrelas
Julgando a ciência, nem sei se vejo o real
Quanto ao tempo e o espaço,
dizem que vejo o passado
Então estou vivendo um presente que já passou
Ou passo por uma vida que já não esta presente

Olhei para o céu e vi nuvens brancas
Que mesmo em sua beleza e pureza
Nos trazem trovoes, raios e tempestades
Em um momento o belo, em outro o medo

Olhei para o céu e vi o azul infinito
Nem azul é! quiçá seja infinito
O escuro só existe, porque a luz permite
Assim permito a duvida,
porque meu conhecimento permite

Olhei para o céu e vi que não posso ver
Se não posso é porque não sintonizei
Insisto em acreditar que existe
Assim enquanto sonhamos, criamos
Foi quando em meio a multidão
te encontrei!

Olhei para o céu e vi e pude sentir
O céu batendo em meu peito
Trago o espírito, a agua, o fogo, a terra, e o ar
Agora eu te sinto e vou esperar
Ja vi seu rosto, então só te peço
Não demore para chegar

R.M.

22 de jan de 2016

que venha a Lua cheia..


 Que venha a Lua cheia,
para que eu possa uivar,
que venha a Lua cheia,
para que eu possa me transformar,
que venha a Lua cheia,
e julgue o verbo amar,
que venha a Lua cheia,
para que eu pare de chorar,
que venha a Lua cheia,
correndo ou voando irei te encontrar,
com a Lua cheia
irei para qualquer lugar.

R.M.

19 de jan de 2016

permitindo mais espaço

 
que a chuva venha forte
e o sol aqueça o pasto
que a lua acalme as almas
e que o vento leve as pegadas
do caminho que eu faço
e assim a natureza
arruma todos os lugares
permitindo mais espaço
 
R.M.

17 de jan de 2016