6 de abr de 2012

Não Ta Morto Quem Peleia


Te pego na saida!
Essa frase a maioria dos homens em sua adolescência ou mesmo infância deve ter escutado ou dito algumas vezes.
Hoje com meus 38 anos já “Tiozão” como muitos me chamam tenho que ouvir um sujeito que se diz muito esperto me ameaçar que ira me pegar na rua....
Bem primeiro que isso deve estar mexendo com os brios do menino que se intitulou um “juvenil o bobalhão” particularmente gostei combinou mesmo com a pessoa , por que realmente ele acredita que esta me amedrontando ou que eu esteja com medo de cruzar na frente dele.
Nunca fui de brigas e tal, mas também jamais irei correr de qualquer homem, lógico que não quer dizer que não vou levar uns bons socos e pontapés na cara, o fato é não correr e apanhar com dignidade hehehehe
Posso ser um “Tiozão”, otario, cuzão, verme (essa é boa!), coitado, ahh vovo também...... mas sinceramente quem esta se moendo e totalmente perdido não sou eu......... o Tiozao aqui hoje ta de boa.
Tenho que me cuidar agora porque não tenho muita grana nem plano de saúde pra fazer uma plástica se for necessário, sei la, vai que o menino o tal juvenil bobalhão é do tipo “pitbull” ai to ferrado
O mais incrivel disso tudo eh que ainda tem gente que acha que; brigas, mortes, guerras, terrorismo e qualquer outro tipo de violencia se resolve alguma coisa, mas vamos la neh! Nao ta morto quem peleia
Bem como todo Gaucho, SOU SIM muito barrista, amo minha terra, minha cultura e o povo que la vivi, por isso em homenagem ao “juvenil bobalhão” (adorei essa denomicao que ele mesmo se deu), segue a letra de uma musica.
Não Ta Morto Quem Peleia

Não tá morto quem peleia, tchê
Vai na raça, só na manha, tchê...!
Não tá morto quem peleia, tchê
É peleando que se ganha.

Um gaúcho me falou estou muito preocupado
Com esta carestia não sou conta do recado -
Esta barra está pesada, eu não posso segurar
Eu então disse pra ela: - Um conselho vou te dar!

Me falou um peão campeiro, índio velho lá de fora
Estou vendendo meu rancho e daqui tô indo embora
Tô de mal com bolicheiro, já briguei com a capataz,
Eu então disse pra ela: - Não te entrega meu rapaz.

Me falou um fazendeiro, morador lá do rincão
Que o pasto está secando, está morrendo a criação -
Eu então falei pra ele: - Entenda como quiser,
Pensamento positivo, e seja lá o que Deus quiser.

A gente nasce apanhando, mesmo que e gente não queira
Quando nasce uma criança leva uns tapas da parteira -
Vai brigando pela vida pra se defender do mal,
Nossa vida é uma peleia, uma luta desigual.
.
R.M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!