5 de abr de 2011

Sinto vergonha alheia!

Seriam tantas situações alheias as quais eu sinto vergonha que não caberia aqui a minha paciência em descrevê-las, mas deixo meu sentimento de tristeza pelas vergonhas que passei passo e passarei por você.

Você que envergonha sua existência, sua nação, sua classe, família, amigos, representa um governo ou instituição a qual você rouba, engana, tira proveito próprio, vende sua imagem, corpo e alma por proventos que não lhe escondem o rosto, muitas vezes querem se esconder em cuecas, malas, distintivos, carteiras disso ou daquilo, tenho vergonha de você que não sente vergonha de envergonhar o povo que representa ou a sua própria família ou amigos.



Sinto vergonha de você que se julga um palhaço e agora faz de palhaço aqueles que te aplaudiram.


Sinto vergonha de você que estuda uma vida, para nem estudar uma solução para salvar uma vida.


Sinto vergonha pelo valor da bunda ou de uma chuteira


Sinto vergonha do desvaler da educação, saúde e da segurança


Sinto vergonha de quem me representa


Sinto vergonha de meu País só se mostrar como samba, favelas e futebol


Sinto vergonha de não mostrarem que País lindo, rico e cultural que é meu Brasil


Sinto vergonha dos valores que não tem valor


Sinto tanta vergonha que não caberia minha paciência em descrevê-las


Sinto vergonha alheia!


.


R.M.

Um comentário:

  1. Somos dois Rô, aliás acho que uma legião de envergonhados.


    beijos.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!