19 de set de 2016

Quando nos limitamos...



quando nos limitamos

eu sou!
o que eu tenho?
se eu posso?
como sou?
quando eu tiver eu vou...
ah se eu pudesse...
eu tinha...
se não fosse...
quem eu sou?


acredito realmente que nós vivemos no mundo que criamos para nós, com nossos próprios pensamentos, mesmo aqueles que não confabulamos, digo os pensamentos que muitas vezes nem sabemos que os temos, mas esses são tão prejudiciais quanto aqueles que nos atormenta durante a noite sem deixar o sono chegar, que por horas ficamos deitados na cama, ansiosos, nervosos, tristes, zelosos ou afogados em mágoas e desgostos, por algo, por alguma coisa que não conseguimos, ou que desejamos, ou pela ansiedade dos próximos acontecimentos.

Ao entender a vida como energia pura e simples, percebo que tudo é muito real ao puro imaginário, basta sua imaginação regada de muito desejo que o mais insano desafio humano se torne fato em um estalar de dedos.

Não preciso entender de física quântica, nem mesmo ser o mais puro devoto de qualquer religião ou ceita, para alcançar a divina sabedoria.

Apenas é preciso se conhecer!
Conheça-te a ti mesmo que encontrará todas as respostas e conseguiras tudo e qualquer desejo se tornará realidade.

Somos desde os principios mais remotos, manipulados e bloqueados, aprendemos desde sempre a seremos limitados, podados da verdade, alimentados com mentiras e ilusões.

Seres desprezíveis dentro de nós mesmos, somos a nossa única e pura ameaça, a mais mortal de todas as armas, sem nem percebermos que temos a mais poderosa armadura, por essa ilusão imposta e constantemente regada em nosso ser, nos destruimos.

Nenhuma guerra sem sentido, nem a mais alta maldade humana é tão nociva quanta nossa própria ignorancia.

Energia em sua pura esencia
Nossos olhos sequer poderiam suportar nossa consciencia 

Tornar-me-ei  luz da mais linda e pura quando o véu cair.

Não somos limitados, fomos limitados!

Até quando irei me  permitir a ignorancia?

R.M.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!